Total de visualizações de página

domingo, 22 de maio de 2011

Energia sinistra




Energia sinistra




Ela me visitou no leito de um hospital.
Disfarçava mas me olhava de longe.

Feito um monge com outra energia veio
em forma de alento negro, aqueles que
nos arrepia de frio.

Fiquei a sós com ela em calafrios cortantes.
O ar estava rarefeito parecia que eu “ia”
não tinha jeito.

Invoquei são Miguel arcanjo e sua colônia
de anjos.

Minha aura tinha que mudar de cor, pois
não podia vencer o horror.
Noites de luta, com força bruta e celestial.

Mas clarificou ao meu redor, o sobre natural
de mim teve dó.

Senti minhas células se restaurarem, meus
tecidos vivificarem.

É!!! Eu não morri...












O NOVO POETA. (W.Marques).

3 comentários:

Almirante Águia disse...

Fala Novo Poeta, bom dia,

Gostei deste poema, realmente transmite a sensação que a informação do título oferece. É um gancho positivo para a construção de um bom conto.

Abraços

Luís Coelho disse...

Todos temos essa força de vida dentro de nós, mas não sabemos como usa-la.
Parabéns por conseguir esse grande aliado. São Miguel Arcanjo

AomaraLuz disse...

La fuerza interior, al igual que la física, la debemos canalizar de forma provechosa. Elevarnos y regenerarnos en energía de luz.

Felicidades por ese descubrimiento.

Saludos, Foto y Luz